O Fogo Sagrado

vela minha

O Fogo é um dos Quatro Chefes de Clãs que regem o mundo da Mãe Terra. Ar, Terra, Água e Fogo são os elementos que regulam as condições atmosféricas, a composição da matéria, a energia, o espaço e o tempo. As seis formas de Fogo no Avô Sol, o Fogo no interior da Mãe Terra, o Fogo que vem do raio, o Fogo em lava que forma o Povo de Pedra, o Fogo que queima a madeira e o Fogo que reside dentro de cada um de nós e que vem a ser a Eterna Chama do Grande Mistério, aquela que nos concede a nossa força vital e a nossa espontaneidade.

O calor do Fogo é um dos componentes essenciais da constituição dos Duas-Pernas – os Seres Humanos. Ensinaram-nos que o Avô Sol condensa o calor do Primeiro Mundo, que foi manifestado após a Criação e que representava o amor do Grande Mistério por todos os Filhos da Terra. Durante o período do Primeiro Mundo o único tipo de Fogo que os Filhos da Terra conheciam provinha do Avô Sol e dos violentos vulcões que entravam em erupção enquanto a Mãe Terra continuava em seu processo de resfriamento. Os Duas-Pernas só aprenderam a produzir e usar o Fogo durante o Segundo Mundo, que trouxe as Grandes Montanhas de Gelo e frio intenso que mudou o clima da Mãe Terra. Por isso tornou-se necessário que os Duas-Pernas de todas as cinco raças se aglutinassem em famílias e Clãs em busca de calor e proteção. Nessa época do Primeiro Mundo , antes que os ventos frios da mudança trouxessem os Seres de Gelo, os Filhos da Terra dependiam da sua união, do amor que sentiam uns pelos outros e do calor do Avô Sol que lhes fornecia o amor e a nutrição.

O Avô Sol vive na Nação do Céu e também dentro de cada um de nós. Está localizado no nosso Núcleo Vibracional, no centro do nosso corpo, logo acima do umbigo. Quando irradiamos nosso amor a todos aqueles que estão à nossa volta, permitimos que este Avô Sol, que vive dentro de cada um de nós, revele seu brilho. O uso apropriado da energia do Amor é uma das maneiras pelas quais a Medicina do Fogo se manifesta. Na época da Trilhas das Lágrimas, quando a fome e o frio passaram a ser os companheiros constantes do nosso povo, muitas vezes crianças pequenas foram salvas das garras da morte pelo uso da Medicina do Fogo. Os adultos mais saudáveis invocavam o Avô Sol que estava dentro deles para que aumentasse o calor e a energia vital de seus corpos. Depois serviam literalmente como cobertores paras as crianças durante as noites de neve. Ao aninhar o corpo das crianças para transmitir-lhes calor, muitos adultos largavam seus Mantos pela manhã, sabendo apenas que haviam salvo a futura geração através do uso da Medicina do Fogo.

plexo solar

O Fogo Sagrado significa a nossa paixão pela vida, o nosso desejo de amar e ser amado, a nossa necessidade de companheirismo e de calor humano, nossa força física, a compaixão que temos pelos outros, nossa criatividade e espontaneidade, assim como o Fogo que alimenta os nossos Sonhos de Cura. A nossa paixão física provém do Fogo interior da nossa Mãe Terra. Esta forma de Fogo Sagrado preenche nossos corpos de disposição, permitindo-nos expressar nossa sexualidade, assim como ilumina nossa criatividade e as nossas ações espontâneas. Canalizando o amor de nossa Mãe Terra para cima, através de nossos pés, e conduzindo-o até o Núcleo Vibracional para encontrar o fogo interior do Avô Sol, criamos um tipo sublime de União Interna: a Divina União do Masculino com o Feminino.

Quando perdemos a conexão com a nossa Mãe Terra, a união dos dois Fogos não se processa e o Fogo Sagrado de que necessitamos deixa de nutrir o nosso organismo; nestes casos, podemos até adoecer por isto; já vi isto acontecer a pessoas que vivem nas cidades, e que se protegem de qualquer estímulo externo para sobreviver à poluição sonora, ou que se defendem de relacionamentos indesejáveis com pessoas que querem manter à distância. Quando o estímulo externo é bloqueado, bloqueia-se também a conexão com a Mãe Terra. Os limites do Espaço Sagrado dos indivíduos passam a ficar reduzidos. As raízes naturais, que recebem a energia do Fogo interno da Mãe Terra, já não conseguem mais alimentar o corpo com seiva. Cria-se um tipo de separatividade que se origina na mente para espalhar-se depois pelo corpo, criando um sentido de desmembramento do Ser. É desta forma que as enfermidades começam a penetrar em nosso organismo. A Cura só poderá manifestar-se quando voltar a haver uma reconexão com a Mãe Terra, com o calor de seu Fogo, com as suas Criaturas e todos os Nossos Parentes. Mais tarde, depois que a confiança tiver sido retomada, será o momento de completar o processo de cura através da Re-união com os outros Duas-Pernas em bases inteiramente novas.

Quando reprimimos o nosso senso natural de companheirismo e isolamos o nosso corpo do calor ou do Fogo Sagrado, ele começa a se tornar frio em determinadas áreas. Aos poucos, o corpo esquecerá de enviar energia vita para aquelas áreas que necessitam de calor, amor e atenção. Em nosso mundo moderno, no qual as pessoas tem medo de abraçar um amigo, de tocar no braço um do outro enquanto conversam, ou no qual as pessoas são mantidas pela Mãe Terra, muitos já perderam aquele Fogo Sagrado interno que lhes traria de volta o sentido de Unidade.

sagrada unidade

Um outro aspecto relacionado ao calor do Fogo Sagrado é o da sexualidade. O Povo Nativo sempre considerou o ato de fazer amor como um ato sagrado. A atração sexual entre duas pessoas constitui a semente de uma sagrada união. Foi durante o Quarto Mundo da Separação que os Filhos da Terra esqueceram de honrar o sentido sagrado da sexualidade que era, originalmente, considerada uma extensão sagrada da união da Mãe Terra com o Pai Céu – a união básica, que trazia fertilidade e abundância aos seus filhos. Nós, os Duas-Pernas, somos muito parecidos com os Lobos, e nos unimos pelo resto da vida sempre que o medo da separação não habita em nossos corações. A tendência  moderna a realizar casamentos e divórcios está nos permitindo curar todos os nossos aspectos que estavam ficando frios e bloqueados. Nós estamos sendo forçados a enxergar o nosso próprio reflexo que não conseguimos amar nas ações das pessoas que vivem ao nosso redor ou no nosso companheiro. De uma certa maneira esse costume moderno é um processo de descoberta que eventualmente nos levará de volta ás idéias de uma união natural e sagrada, que tem suas raízes  naquele amor incondicional que a Mãe Terra e o Avô Sol sentem por nós.

Ao longo dos anos muitos Xamãs têm usado o Fogo para ajudá-los a se manterem ligados à dimensão terrestre enquanto realizam as suas Viagens pelas Dimensões dos Sonhos. O Fogo, feito com galhos de árvores, tinha que ser constantemente alimentado por um assistente durante essas Viagens. O instinto natural nos inspira a acender uma fogueira para aquecer o corpo, enquanto o Espírito vagueia pela Dimensão dos Sonhos. Desta maneira o Xamã pode permanecer fora do corpo por longos períodos de tempo sem ter que se preocupar com danos que possam ocorrer ao seu corpo físico. Do mesmo modo como devemos estar abertos para receber as informações dos Ajudantes e Guias de Cura, devemos também estar dispostos a utilizar o Fogo Sagrado em nossas Viagens e Missões. Quando todas as partes do nosso corpo estão bem alimentadas através do Fogo de nosso Avô Sol, o corpo se sente preparado para deixar que o espírito viaje sem maiores problemas.

Quando deixamos de nos preocupar com o sentimento externo de perigo, e quando as necessidades ficam satisfeitas, as percepções sensoriais tendem a encontrar uma perfeita sintonia. O Fogo interno nos nutre e protege, da mesma maneira que a Mãe Terra sempre nos nutre, e o Avô Sol nos dá a sua proteção. É através deste estado de harmonia que conseguimos voltar ao nosso modo de vida natural, que é o de viver em perfeito equilíbrio interno. Através deste processo o Fogo do nosso espírito é alimentado, conseguindo transcender a ilusão de tempo e espaço, para poder sair e retornar sempre que for necessário. É por isto que os nossos Anciões conseguem decidir por conta própria qual é “um bom dia para morrer”. Como eles viajaram para fora do corpo por tantas outras vezes, eles já sabem como liberar o corpo e largar o Manto no momento em que sentem o chamado do Mundo dos Espíritos.

O Fogo Sagrado nos faz recordar que todas as coisas provêm do Grande Mistério. Tudo que existe contém em si o Grande Mistério, a Fonte Original de todas as coisas. O Fogo da Criação vive tanto dentro de nós quanto dentro de Todos os Nossos Parentes.

Quando equilibramos o Fogo Sagrado em nosso íntimo, em qualquer de suas formas, conseguimos perceber tudo e nos tornamos qualquer coisa dentro da Criação, fundindo-nos com o Fogo Sagrado que existe em todas as coisas. Este talento constitui a criação espontânea. A paixão pela Vida é o combustível que alimenta nosso Fogo interno. Esta paixão provém do reconhecimento de que cada ato da vida física é uma bênção que o Grande Mistério nos oferece.

Abuela

Se a Medicina do Fogo surgiu hoje em suas cartas, você está sendo instado a tomar consciência do seu próprio Fogo interior. Você pode alimentar sua paixão de viver, assumindo todas as Energias Positivas que já existem em sua vida. Para conseguir levar uma vida mais plena de aventura e satisfação, você deve sentir prazer e alegria. Para que essa paixão não esmoreça, você precisa descobrir que merece vivê-la e seguir em frente.

Se você tem questionamentos ou problemas relacionados à paixão no plano físico, este pode ser um bom momento para esclarecê-los. Todos os atos da vida são sagrados quando são tratados de forma respeitosa. Antigos temores relacionados à intimidade ou a compromissos podem ter efeitos limitadores nos relacionamentos. Se este é o seu caso, dissipe o medo e afaste temores. Quando o medo é dissipado, as antigas feridas cicatrizam e você estará pronto para viver futuros relacionamentos mais compensadores.

Qualquer que seja a nossa situação atual, a Medicina do Fogo afirma que devemos utilizar o Fogo interno para alimentarmos nossas vidas com novas energias.  Essa energia provém da paixão física que a Mãe Terra nos proporciona e do amor espontâneo que flui do Avô Sol. Quando estamos harmonizados, esta União divina inflama o nosso desejo natural de viver intensamente cada momento de nossas vidas. Se esta espontaneidade já estiver brotando de você, é hora de continuar.

“É por isso que nós cantamos para o Fogo”.

“É por isso que seguimos as Tradições e continuamos a contar as velhas histórias. Para manter a história viva e preparar as próximas sete gerações.”

“Tudo o que aprendemos devolvemos ao Grande Espírito. É nosso dever devolver ao povo o que nós recebemos. Este é o caminho da auto-realização.”

“Bakti Yoga”

Aurelio Kimich Ajau

Grace Maria Govinda, Terapeuta Holística, kin 114, Mago Planetário Branco.

Caminhante do Céu Ressonante Vermelho, sexto dia da Lua Solar do jaguar, Plasma Limi, Onda Encantada da Mão Magnética, da Semente Cristal Amarela.

Este texto foi retirado do livro “As Cartas do Caminho Sagrado – A descoberta do ser através dos ensinamentos dos índios norte-americanos”, de Jamie Sams, Editora Rocco.

dedicatória ao fogo sagrado

 

Um comentário em “O Fogo Sagrado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s